Artistas Convidados

14291785_1296919207006776_66386729169593

Atriz | DRT 43885

Ana Carolina Casagrande

Escola Superior de Artes Celia Helena, com início em 2013. Experiência como atriz: 2014 – “Novos tempos de Alice”, direção de Claudia Leoni, “Cala a boca já morreu” de Luiz Alberto de Abreu, direção de Simoni Boer; 2013 - “Do’z” com direção de Claudia Leoni; “O Sábio do oriente” com direção de Claudia Leoni; “Gota d’agua” de Chico Buarque de Hollanda, direção de Pedro Granato. Professora de teatro e assistente em preparação de elenco na Alphatap no Alphaville Tênis Clube em 2014, Estagiária de Produção e contra-regragem de Ana Luiza Lacombe no espetáculo infantil “As Três Penas do Rabo do Grifo”. Contra-regra da Penélope Cia de Teatro no espetáculo “Sem Palavras” com direção de Erika Coracini. Em 2010 – Maratona Cultural Acesc XII Mostra de Dança. Em 2009 – Maratona Cultural Acesc XI Mostra de Dança. Em 2008 – XII New Fest Dance de Campos do Jordão;Modalidade: Street Dance e Sapateado; ParGcipação e cursos no IV Sapateia São Paulo e X Maratona Cultural Acesc X Mostra de Dança. Em 2007 – FesGval Internacional de Sapateado em Jaguariúna; Workshop de Sapateado Americano no Brasil InternaGonal Tap FesGval by Jaguariúna; CerGficado de ParGcipação no The New York City Tap FesGval Tap City – Youth Program e Maratona Cultural Acesc IX Mostra de Dança. Em 2006 – Maratona Cultural Acesc VIII Mostra de Dança. Em 2003 – XIII Encontro de Dança de Barueri. 

Andre Capuano.jpeg

Ator | DRT 13233

André Capuano

Ator e diretor formado pela EAD. Dirigiu e atuou em diversos espetáculos, realizando parcerias com diferentes artistas e grupos de teatro: Corpo_Cidade_Rotinas_(ficção), idealização, coordenação e direção (2015-2017); Branco – O Cheiro do Lírio e do Formol, de Alexandre Dall Farra, com Janaína Leite e Clayton Mariano; Cia Ocamorana – Coriolano, direção de Márcio Boaro, de Willian Shakespeare (2017); Cia Tablado de Arruar – Abnegação I, II e III (2013 - 2017) O Canto das Mulheres do Asfalto, direção de Georgette Fadel, texto de Carlos Canhameiro (2015-2017); Corpo_Cidade_Bom_Retiro, idealização, coordenação e direção (2014); Sonata a Kreutzer – uma história para o século XIX, idealização e atuação, texto de Cassio Pires, direção de Marcello Airoldi (2013-2015); Vigília, atuação e concepção coletiva, texto de Cassio Pires (2013-2015); Cia São Jorge de Variedades – O Santo Guerreiro e o Herói Desajustado (2008-2011) e Barafonda (2012-2013); Gota d ́Água – Breviário, direção de Heron Coelho e Georgette Fadel (2010-2013); Teatropolitano S.P, direção, idealização e atuação em Sob Controle – Estratégias de Combate na Metrópole (2010-2011); Cia Pé no Canto (2007-2010) – direção e preparação corporal de As Aventuras de Urashima Taro (2007-2012) e As Aventuras do Barão de Munchausen (2010- 2012); Integrante do Centro de Pesquisa e Criação da Mímica Total, com Luis Louis (2006-2009), criou Sistema Nervoso (2008), 650 mil horas e Identificação (2006); Fundador e integrante da Cia Vate Katarse (1999-2005) – Marinho, o Marinheiro (1999-2004), No Buraco, direção Tiche Vianna (2000-2002), Birosca-Bral, direção Tiche Vianna (2002-2005) e SOCORRO! (2004-2006).

Carolina Moreira.jpg

Atriz | DRT 41004

Carolina Moreira

Formada em Bacharelado em Teatro na Escola Superior de Artes Célia Helena. Fez o curso de interpretação para teatro no ETA- Estúdio de Treinamento Artístico (2010) e participou do curso extensivo de Campo de Visão - prática improvisacional de treinamento para o ator - ministrado pela Cia. Elevador de Teatro Panorâmico (2012). Como estagiária em assistência de direção, acompanhou o processo de criação da peça “Psicose 4:48”, com direção de Marcelo Lazzaratto (2012). Estagiou também na área de iluminação na ESCH - Escola Superior de Artes Célia Helena e fez operação de luz na peça “Ecos de Outras Eras”, em Cartaz na Estação 574 (2012). Como atriz, fez peças como “Mais um pecado”, dirigida por Lilian Bites de Castro (2010); “Contos que Cantam sobre Pousospássaros”, de Cláudia Schapira, pelo projeto Conexões, dirigida por Daves Otani (2011); “Millôr em Três Atos”, dirigida por Daves Otani (2011); “Publicamente Privado”, dirigida por Simoni Boer (2012) ; “Gota d’água” (2012), dirigida por Guilherme Sant’anna; “Histórias do Senhor Keuner” (2013), de Bertolt Brecht, dirigida por Marco Antônio Rodrigues; e “Sem Palavras” (2013), da Penélope Cia de Teatro, dirigida por Erika Coracini.

Demian Pinto.jpg

Músico e ator | OMB 35613

Demian Pinto

Estudou música na Universidade Livre de Música Tom Jobim. Dança e expressão corporal com Célia Gouveia, Interpretação teatral com Guilherme Sant’ana, Teatro do Oprimido com Luiz Vaz Brazil, Clown com Bete Dorgan, Contato-improvisação com Érika Moura, entre outros. Estudou piano erudito com Neide Mello da Silva e Daniel Matos e piano popular com Clara Zarur, Paula Brandileone, Wilson Curia e composição com Silvia Góes. Últimos trabalhos em teatro: “Macário” em 2001 como ator/músico (Cia. Teatro de Narradores – dir. de José Fernando de Azevedo), “Farsa do Monumento” em 2001 como ator/músico (Tablado de Arruar e direção de Heitor Goldflus), “Single Singers Bar” em 2002 como pianista (Grupo Folias D’Arte – dir. de Dagoberto Feliz), “Romeu e Julieta” em 2003 como diretor musical (Grupo Manto de Sorocaba – dir. de Rodolfo Amorin), “Movimentos Para Atravessar A Rua” em 2003 como diretor musical/ator (Tablado de Arruar – dir. de Pedro Mantovani e Heitor Goldflus), “El dia que me quieras” em 2005 como músico de cena (Grupo Folias D’Arte – dir. de Marco Antônio Rodrigues), “ O Céu Uniu Dois Corações” como diretor musical (Grupo Manto de Sorocaba - dir. de Rodolfo Amorim), “Mistinguett” em 2006 como pianista (dir. Dagoberto Feliz). Atua em "TERRENAL", direção Marco Antonio Rodrigues (2018). Foi professor e responsável pela direção musical da primeira turma de pós-graduação Lato Sensu/Especialização em Interpretação para Musical em 2016 da Escola de Teatro Célia Helena.

Ator, artista plástico, cenógrafo e figurinista | DRT 35706

Ivan Zancan

Formado ator pelo Célia Helena Teatro-Escola, participou das peças: Sem Palavras, baseada na obra de Mia Couto, direção de Erika Coracini; Barafonda, dramaturgia e direção coletiva da Cia. São Jorge de Variedades; Yukio Mishima - Peças de Nô Moderno, de Yukio Mishima, direção de Ruy Cortez; Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna, direção de Ednaldo Freire, entre outras. ​ Como cenógrafo e figurinista, formado pela SP Escola de Teatro, sob coordenação de J.C. Serroni, participou das peças: Cyrano de Bergerac, de Edmond Rostand, direção de Kiko Marques; Inefável, de Kkau Tolentino, direção de Anna Galli; Sem Palavras, baseada na obra de Mia Couto, direção de Erika Coracini.

Atriz e Produtora | DRT 34489

Lara Thomaz

Formada no Curso Técnico-Profissionalizante de Formação de Ator do Teatro Escola Célia Helena em 2010 e em Bacharelado em Teatro na Escola Superior de Artes Célia Helena. Realizou como atriz as peças: “Bailei na Curva”, de Julio Conte; direção de Ademir Emboava (2008), “Os Horácios e os Curiácios”, de Bertold Brecht; direção de Fernando Nitsch (2009), “Boca de Ouro”, de Nelson Rodrigues; direção de Simoni Boer (2009), “O burguês fidalgo”, de Molière; direção de Gabriel Miziara (2010), “Fahrenheit 451”, adaptação de Julio Santi, direção de Fernando Nitsch (2011); “Millôr em três atos”, adaptação de textos de Millôr Fernandes, direção de Davis Otani (2011), “Publicamente Privado”, adaptação de crônicas de Luis Fernando Veríssimo, direção de Simoni Boer (2012); “Gota d´água”, adaptação do texto de Chico Buarque e Paulo Pontes, direção de Guilherme Santanna; “Histórias do Senhor Keuner”, de Bertolt Brecht, dirigida por Marco Antônio Rodrigues (2013). Participou de oficinas como: Campo de visão- prática improvisacional de treinamento para o ator com Marcelo Lazzarato (2012) e Commedia DellÁrte com Tiche Vianna (2012). Estagiou como operadora de som na peça “Penélope Vergueiro”, direção de Carlos Canhameiro (2012) e assistente de direção e operadora de som na peça “Sobre o desejo”, direção de André Correa (2012). Atualmente está no grupo Euquasquatro de Teatro com o projeto “Julietas no Batente”, de Chico Carvalho; e com o grupo Penélope Cia de Teatro com o projeto “Sem Palavras” de Erika Coracini e Alexandre Krug.

Atriz | DRT 17954

Liz Mantovani

Formada no Instituto de Artes e Ciências (Indac), desde 1998 está para o teatro e arte-educação. Em 1991 desenvolveu uma breve pesquisa em teatro-dança numa trajetória autoral, mas como se identificou com o processo de trabalho de teatro de grupo, a partir de 1992 dedicou-se a esta escolha. Trabalhou com os grupos Engenho Teatral, Teatro Vento Forte (foi indicada ao Prêmio Apetesp como Melhor Atriz na categoria de espetáculo infantil) e foi integrante-fundadora da Cia Teatro X, participando de todos os espetáculos da Cia como atriz, produtora e administradora, sendo alguns dos trabalhos: "Cidadão de Papel", "Espólio", "Bando de Maria", "Caminhador", Projeto "Contos da Quadra", "O Coelho", "O Menino e água". Participou de espetáculo de bonecos (técnica bunraku) promovido pelo Instituto Callis, e atuou como arte-educadora no Projeto Formação de Público e Projeto Teatro Vocacional.

Atriz e Preparadora Vocal | DRT 5250

Paula Carrara

Atriz, atualmente pós-graduanda da Escola de Comunicações e Artes com o projeto de mestrado “Voz e Escuta - Reflexões e Processo de Criação”, sob a orientação do Prof. Dr. Antonio Januzelli. Responsável pelo trabalho sobre a voz nos espetáculos “Origem/Destino”, projeto da Cia. Auto-retrato (contemplado pelo Fomento ao Teatro da cidade de São Paulo-2012), “Ulisses, Molly, Bloom – Dançando para adiar”, da Cia. estrela d’Alva contemplado pelo Proac – Espetáculo Inédito 2012) e “Quando Não Se Pode Fazer O Que Se Deve, Deve-Se Fazer O Que Se Pode”, da Cia. C.G.I. (contemplado pelo PROA Primeiras Obras, 2013).Coordena o trabalho de voz também no “Experimento Finnegans”, projeto em parceria com a Cia Estrela d’Alva e Quarteto à Deriva realizado no Centro Cultural São Paulo (2013) e na da oficina “Figuras do Cavalo-Marinho”, coordenada pela Cia. Mundurodá (Residência Artística na Câmara de Cultura – 2010). Em 2012 ministra a disciplina “Poéticas do Corpo e da Voz” no curso de graduação em Artes Cênicas da USP como professora convidada. Atua na preparação vocal Coordenou o trabalho de voz das turmas de formandos da Fundação das Artes de São Caetano nos espetáculos “Iepe” (2013), “Trabalhos de Amor Perdidos” (2012), “Arritima” (2011) e “O que não disseram” (2010). Coordena a oficina “Corpo-Voz na Cena” (2011) e “Preparação Vocal para Atores” (2009) na Oficina Cultural Oswald de Andrade e “Técnica Vocal para o Ator” (2009) na Oficina Cultural Amázio Mazzaropi. Recebe em 2013 o apoio do Ministério da Cultura para participar de um workshop sobre a voz no Centro Roy Hart (França) e em 2008, contemplada pelo mesmo Programa, participa do III Encontro Pedagógico Internacional “Vocis Vocalis” sobre a voz em cena. Além disso, realiza workshops com: Christopher Moffett (Nucleo Ausencia em Cena 2013), Anatolij Vassiliev (Teatro Del Valle/ Roma – Italia 2012), Thomas Richards (Workcenter of Jerzy Grotowski and Thomas Richards – ECUM Belo Horizonte 2011), François Kahn (O trabalho de Jerzy Grotowski – TUSP 2009), dentre outros.

Atriz | DRT nº 37270

Renata Asato

Atriz, pós-graduanda em “Corpo: Dança, Teatro e Performance” pela Escola Superior de Artes Célia Helena (2014), bacharela em Teatro pela mesma instituição (2012). Foi aluna-pesquisadora bolsista FAPESP com o projeto de iniciação científica “O Teatro Sagrado: entre o ritual e o fenômeno teatral” (2012), com orientação de Bete Dorgam. Também graduada em Comunicação Social pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (2009), onde iniciou sua formação artística com o Grupo de Teatro Tangerina (2004-2009). É atriz do espetáculo “ODISSEIA”, do Estúdio da Cena, com direção de Marco Antonio Rodrigues e dramaturgia de Samir Yazbek e grupo (2012-2014) e da peça “Sem Palavras”, da Penélope Cia de Teatro, com direção de Erika Coracini e dramaturgia de Alexandre Krug (2013-2014). Trabalhou como assistente de direção da montagem da peça “Nossa Senhora das Nuvens”, de Aristides Vargas, dirigida por Erika Coracini (2013). Atuou no espetáculo “Larilará Macunaíma Saravá”, com direção de Dagoberto Feliz e dramaturgia de Marcos Barbosa, com o qual participou do FESTURIO 2013. Foi atriz-criadora e idealizadora da peça “Avesso – Um relato íntimo”, com direção de Rubia Reame (2011). Com o Grupo de Teatro Tangerina, atuou nos espetáculos: “Entre Romeus e Julietas” (2008), adaptação da obra de William Shakespeare; “Os Físicos” (2007), de Friedrich Dürrenmatt; “Quando Apenas Detalhes” (2005), criação coletiva; e “Notas do Humano Sobre Impressões do Ser ou 17 Corpos em Exercício Cênico” (2004), criação coletiva; todas dirigidas por Otavio Dantas e Rubia Reame. Participou da residência artística de dança “Gesto, partitura e paisagem” com Morena Nascimento (Festival de Arte Serrinha – 2014); cursou o Laboratório Dramático do Ator com Antônio Januzelli (Quintal de Criação – 2010); estudou interpretação para cinema com Flavio Rocha (Studio Fátima Toledo – 2009); e praticou dança moderna com o Método Martha Graham sob a direção das irmãs Claudia e Cristiana de Souza (Cia Danças – 2005/2006).